Por uma nova Guajará-Mirim

Guajará-Mirim

A bela Guajará-Mirim deve se transformar em um pólo comercial.

Guajará-Mirim, a nossa Pérola do Mamoré, há muito tempo vive uma profunda depressão econômica que vinha se refletindo na baixa auto estima de seus moradores. Era precisa agir com firmeza e rapidez. E nós agimos. Guajará-Mirim se tornou a primeira cidade brasileira de fronteira a receber, de fato, um pacote de incentivos fiscais para alavancar seu crescimento.

Remeti para o CONFAZ (Conselho Federal de Secretários de Fazenda) expediente que solicitava a concessão de incentivo fiscal pelo estado de Rondônia para Guajará-Mirim. Esta foi uma atitude ousada, já que havia lei federal não regulamentada e portaria ministerial que abriam esta possibilidade para cidades fronteiriças. Mas ninguém tomou esta iniciativa antes. Faltava vontade política e interesse genuíno de ajudar este município e sua brava gente. Vale lembrar que Guajará é “irmã gêmea” de Guayaramirim, cidade boliviana do outro lado do rio Mamoré.

Pois ousei e acertei o alvo. Nosso pedido foi aprovado por unanimidade.

A nova Guajará

Na prática, haverá uma redução de ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadoria e Serviços) em 80% e também de impostos federais. Para efeito de comparação: Manaus é atualmente uma cidade rica e pujante porque recebe benefícios fiscais semelhantes. A diferença a favor de Guajará é que o incentivo não beneficia apenas a indústria, mas também o varejo.

Agora sim, podemos nos orgulhar: Guajará é de fato e de direito uma área de livre comércio e uma zona franca para o comércio varejista. O caminho está aberto para turistas ávidos por compras a preços competitivos. Com o turismo chegarão riquezas e desenvolvimento. O número de lojas, e, consequentemente, de empregos aumentará.

Com certeza a nossa querida Guajará será outra cidade em muito pouco tempo. Quem viver verá. E o mais importante e que nos orgulha ainda mais:

Rondônia saiu na frente.

Participe do nosso blog e das nossas redes sociais. Comente, envie suas sugestões e suas críticas.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.