BIOGRAFIA

Confúcio Aires Moura nasceu aos 16 de maio de 1948, na cidade de Dianópolis, em Tocantins. Aos seis anos mudou-se para Goiânia/GO. Em 1957, para Brasília (o pai foi candango). Foi Sargento da Polícia Militar de Goiás. Formou-se em medicina pela Universidade Federal de Goiás em 1975. Foi professor de cursinho pré-vestibular.
Decidiu morar e trabalhar na Vila Ariquemes, às margens do Rio Jamari e da rodovia BR-364. Foi o primeiro médico da região. Um ano depois, com a esposa, a médica Maria Alice Silveira Moura, abriu o Hospital e Maternidade São Francisco. Exerceu a medicina na região de Ariquemes até o ano de 1995, quando iniciou seu mandato como deputado federal.
Confúcio Moura e Maria Alice tiveram duas filhas – Bárbara de Paula Silveira Moura (médica) e Débora de Paula Moura Martins (dentista) e, três netas – Isadora, Beatriz e Rebeca.

Militante
A história política de Confúcio Moura se confunde com a própria história do seu único partido, o Movimento Democrático Brasileiro (MDB), no Estado de Rondônia. Na Câmara dos Deputados foi vice-líder do PMDB/PTN de 1995 a 2001; vice-líder do Bloco PMDB/PRONA entre 1996 e 1999, e vice-líder do PMDB de 1999 a 2003.

Secretário de Estado da Saúde
Em 1987 foi nomeado Secretário de Estado da Saúde, pelo governador Jerônimo Santana. Implantou o Sistema Único de Saúde (SUS) no Estado e construiu treze (13) hospitais e centros de saúde.

Deputado Federal
Eleito deputado em 1994, reeleito em 1998 e 2002. Em 2004 renunciou ao mandato de Deputado Federal, por ter sido eleito Prefeito de Ariquemes.

Prefeito
Em 2004 foi eleito prefeito de Ariquemes e reeleito em 2008. Renunciou ao mandato de prefeito em 2010 para ser candidato a governador de Rondônia.

Governador
Em 2010 foi eleito Governador do Estado e reeleito em 2014. Executou uma gestão austera com planejamento de curto, médio e longo prazo. Deixou consignado na Constituição do Estado, o Plano de Desenvolvimento Estadual Sustentável (PDES) com ações previstas até o ano 2030. Fez três reformas administrativas visando a enxugar despesas. Deixou o Estado com suas contas equilibradas e no azul. Fez um governo municipalista, ajudando os municípios atravessarem a maior crise econômica do país. Os indicadores econômicos e sociais do Estado melhoraram. Sempre, em seus mandatos, a tônica foi a mesma: criatividade, inovação, cooperação, insurgência contra preguiça e vícios.

Senador
Em abril de 2018 renunciou ao mandato de Governador do Estado para ser candidato ao Senado Federal. Foi eleito. O foco do seu mandato será a defesa da educação de qualidade, fomento à ciência & tecnologia e defesa dos interesses da Amazônia (em especial Rondônia).

Cronista
Escreve artigos e crônicas em seu blog duas vezes por semana. Já escreveu quatro livros.