O “monstro” e o pânico (coronavírus)

O “monstro” e o pânico (coronavírus)

Tem “monstro” novo rondando o mundo. Parece o espírito do mal baixando sobre a humanidade.

Quem se agarra à fé pode até dizer que é o “fim dos tempos” pela coleção de pecados mortais acumulados pelo homem.

O certo é que veio, agora, este monstro invisível, fabricado pela engenharia genética natural, arranjado em quatro letras (A,G,C,U) para nos assombrar. Traduzindo em miúdos, essas são as iniciais de ADENINA, GUANINA, CITOSINA E URACILA, dessa “Síndrome Respiratória Aguda Grave”, como classificada. Dessa “sopa de letrinhas” surgiu o Coronavírus (COVID-19).

Eu já encarei o pânico da malária: não tem vacina, mas, há remédio para curar. Muita gente morre no mundo pela “maleita” ou “impaludismo”.

Já vivenciei a paralisia infantil (pólio), vírus também. Um horror! Sabin, extraordinário, produziu a vacina em “gotinhas” e resolveu em grande parte o problema…

Ainda testemunhei o drama da hanseníase (sem vacina, mas com tratamento), da AIDS (da mesma forma), das gripes e variantes (com vacinas, ainda bem!), dentre outros males.

Foram desenvolvidas as vacinas – salvadoras, gratuitas, fantásticas! – e, mesmo assim, o povo desleixa! Vejam o exemplo do sarampo: mesmo erradicada pela vacina, a doença está voltando, devido ao desmazelo cultural de nosso povo.

O povo brasileiro, por natureza, não leva a sério, sequer, o controle de doenças como a dengue, chikungunya e zika, que se repetem todos os anos e poderiam estar controladas, fazendo, simplesmente, a limpeza dos quintais e eliminando-se pontos de água parada.

E o novo “monstro” chegou! Está aí, deixando todo o mundo louco! Estamos todos apavorados, morrendo de medo… e agora, José?

É enfrentar o vírus!

Aqui no Brasil temos que pegar pesado, se quisermos bloquear a sua expansão! Adotar medidas duras de contenção, até que se desenvolva a vacina.

Eu acredito na pesquisa científica! Acredito nos maravilhosos pesquisadores brasileiros. Creio que  não tardará o desenvolvimento da vacina contra o coronavírus, compondo o coquetel da vacina contra a gripe. Isso, porque nossos cientistas já estão testando poderosos medicamentos antivirais, que em breve nos permitirão tratar e controlar o coronavírus.

Tudo depende de cada um fazer sua parte.  Vamos vencer este  “ET” invisível.

Rogo aos céus e ao conhecimento científico pela vacina (para que se desenvolva bem rapidamente). Conclamo a população para que aproveite esse momento e aprenda com o problema, visando  aperfeiçoar nossos hábitos de higiene e etiqueta social.

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não pode ser publicado.