Milagres na quarentena

Milagres na quarentena

Crônica de Emerson Castro –  Voz de Elizete Maria

 

Estava tomando uma xícara de café na janela de nosso apartamento, olhando para a beleza da manhã, quando de repente me chama atenção um casal que chegava na orla em frente pedalando.
Pararam exatamente em frente ao nosso prédio e a mulher tirou de um suporte da bicicleta, algo.
Era um pedaço de papel dobrado.
Pra minha surpresa, ao abrir o papel, se revelava um belo coração em cartolina vermelha 
Aquilo me impactou
Fiquei paralisado, ante a surpresa.

Então, o casal começou a enviar beijos e sinais de abraços pra alguém nos andares acima do meu.
Ele enviava beijos no ar e ela movimentava o coração delicadamente, como se pulsasse, movimentado-o para frente e pra trás ao encontro de seu peito.

Ambos com um sorriso cujos brilhos rivalizava com o sol dominical em plena força de luz.

Me penitenciei por não ter corrido pra pegar meu celular e filmar aquela cena linda.
Quando me toquei de registrar, ela ja tinha guardado o coração de papel (começava a achar que era de carne e sangue) e , após mais beijos e abraços simulados no ar, a alguém que agradecia nos andares mais altos e partiram…

Olhem, não sei se vocês conseguiram imaginar o acontecido, mas pra mim, essa cena não sairá jamais de minha memória.

Eu presenciei um milagre.

Um milagre que só ocorreu graças a um vírus que está no ar.
O vírus do AMOR.

E esse, diferente do que assola o mundo, é INFINITAMENTE MAIOR que qualquer doença ou padecimento que possamos estar presenciando.

Porque esse vem de Deus!

Nosso Senhor que está inspirando e tornando OUSADOS a quem se permite ser USADO por Ele.

Permita-se externar o amor e perceba que você não será contaminado, mas será INSPIRADO a ser melhor a cada dia.

Enquanto tudo isso acontecia, no som, aleatoriamente escolhido, tocava “Meu carpinteiro” cantado por Anderson Freire
E o refrão que me marcou pela letra era:

“O meu carpinteiro é Jesus
Minha casa Ele consertou
Se a tempestade voltar
Ela não vai desabar
Todo sofrimento acabou
Como chuva de verão, passou
Assim como a igreja sobre a pedra
Minha casa Ele edificou”

Todos podemos fazer algo além.
Algo mais a trazer alento, alívio e candura na vida de outra pessoa.

Vamos espalhar AMOR.

Amor ágape.

Amor puro, sublime e verdadeiro

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não pode ser publicado.