Santos Dumont (Domingada)

Santos Dumont (Domingada)

  1. SANTOS DUMONT –  Extraordinário. Como deveria ser o cérebro e o pensamento dele? A inquietação para criar balões e ser o precursor dos aviões. É um orgulho nacional. Hoje, aviões modernos, incrivelmente precisos, transportando gente, cargas e bombas. Esta domingueira é uma homenagem ao genial Santos Dumont.
  2. RONDÔNIA PRECISA – Quem sai de Pimenteiras a Porto Velho, roda mais de 700 quilômetros. Daí a importância dos voos regionais. Sou favorável a abertura da aviação à empresas estrangeiras. Justamente para o atendimento das cidades médias do nosso Estado e do País. Aumentar a concorrência e reduzir o preço da passagem.
  3. AVIAÇÃO NO BRASIL – Também acho que a aviação no Brasil é uma atividade de altíssimo risco. Eu me lembro da América Air, Avianca, ATA Brasil, BRA, Cruzeiro do Sul, Fly, Flyways, Lóide Aéreo Nacional, NOAR Linhas Aéreas, Panair do Brasil, Pantanal, Paraense Transportes Aéreos, Puma Air, Rico, Sol, TAF, Transbrasil, Syndicato Condor, VASP, TABA, Varig, Webjet Linhas Aéreas, Brava Linhas, todas faliram.  Tudo é muito caro. O aluguel dos aviões (leasing), as despesas com pessoal e o preço do combustível. Alguma coisa está errada neste negócio.
  4. VOOS REGIONAIS – É evidente que nenhuma empresa irá abrir uma linha regional – por exemplo em Vilhena, Cacoal, Ji-Paraná, Ariquemes, Guajará-Mirim – se não tiver um modelo diferente para custear as despesas. No Estado de Minas Gerais há uma autarquia que controla os voos regionais. Mas o Estado compra mais da metade das passagens para viagens dos seus servidores públicos e secretariado. Viajando ou não, lotando ou não, aquelas vagas estarão à disposição do Estado. Eu chamo isto, de voo social.
  5. AEROPORTO DE ARIQUEMES – Uma novela de mais de duzentos capítulos. Agora a corrida é contra o tempo, para garantir o recurso até 30 de junho. Os projetos apresentados estavam incompletos. Corremos atrás da INFRAERO, que tem uma excelente equipe de engenharia e aceitou o desafio do projeto. Estivemos na Secretaria de Aviação Civil com o deputado Lúcio Mosquini e o diretor-geral do DER (Coronel Meireles). Feito um novo pacto para garantir o recurso.
  6. BR 364 (Trecho Urbano de Ariquemes) – Quem passa na BR não tem uma boa impressão da cidade. O trecho urbano está sem iluminação. Sem urbanização. Thiago (Prefeito) está vindo na próxima semana. Vamos trabalhar para restaurar. Iluminar. E concluir a obra. Agora não me pergunte o tempo. No Brasil não há tempo para iniciar e nem concluir obras. Vamos ferroar.
  7. A GINÁSTICA  – O Pronto Socorro João Paulo II vem rolando do jeito que é, por vários governos, inclusive no meu. Iniciamos o HEURO PORTO VELHO que foi paralisado por forças externas. A situação foi paliada com a operação da Lei Seca, de quinta-feira a domingo. Reduziu em 40% os acidentes. Construída a AMI (Assistência Médica Intensiva), com mais de 30 leitos de UTI para suporte ao JPII. Instituído O SAMD (Serviço Ambulatorial Médico Domiciliar) com  capacidade  para atender, em domicílio, até 200 pacientes. Convênio com o Santa Marcelina para a utilização  de 70 leitos. E mais leitos no Hospital Panamericano, e também leitos de UTI.  No Hospital de Base outros 200 leitos de suporte ao JPII, transferindo diariamente os pacientes. A implantação do Hospital Regional de Cacoal,  HEURO Cacoal, e do Hospital de São Francisco do Guaporé segurou, em muito, a transferência de pacientes das cidades da região. Mesmo construindo o HEURO PORTO VELHO, toda esta estrutura deve ser mantida. A Lei Seca é indispensável para a redução de acidentados de trânsito.
  8. CRESCIMENTO DO ESTADO – Depende de tudo, porque existem recursos  para investimento: recursos próprios das pessoas (investem e geram empregos);  recursos dos bancos para empréstimos; recursos federais de vários programas; recursos municipais que são importantes; recursos do Estado e de fundos de investimentos. Cabe ao Governo ser gerador de esperança e confiança, sendo o maestro de toda esta orquestra. Cabe também apoiar programas inovadores (café, cacau, agroindústria, aumento da produção do leite, indústrias na área digital e colocar a internet à disposição de todos.
  9. EDUCAÇÃO – a minha sugestão é que o EJA (Educação de Jovens e Adultos) seja melhorado. Que o foco dele seja a educação profissionalizante, para aumentar o interesse dos alunos, que são adultos, e que seja feito um meio termo entre o convencional e o profissional.  Usando todos os meios possíveis para fazer esta grande revolução da qualificação da mão-de-obra, o EJA-TEC.
  10. REGULARIZAÇÃO FUNDIÁRIA – tem que ser guerra mesmo. Estado, senadores, deputados federais e estaduais  pegarem firme. Porque se depender do Governo Federal vai demorar mais cem anos para resolver esta grave situação. Temos no Estado mais de 70 mil chácaras, sítios e fazendas sem documento nenhum. Regularizando este povo, a riqueza do Estado dobra em 5 anos (pouco mais ou pouco menos); aqui, inclui também, a regularização das Unidades de Conservação Estaduais.

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não pode ser publicado.