O salto no escuro (uma história da pandemia COVID-19) Capítulo 45

O salto no escuro (uma história da pandemia COVID-19) Capítulo 45

O vírus (coronavírus) está com variações, caras novas do vírus, entrando firme e impiedoso nos corpos dos amazonenses. E vai se espraiando para os Estados vizinhos. E o vírus não para nos muros e nem nas cercas de arame. Muito menos fica esperando do lado de cá dos rios. Ele vai viajando com os ventos e com as pessoas.

O caso é sério. Acho que teremos que vacinar todos os habitantes da Região Norte. Esta estratégia deve ser iniciada rapidamente. Objetivo de fazer uma barreira de proteção para os demais Estados da federação. O Plano Nacional de Vacinação deve ser mudado.

O Consórcio de Governadores da Amazônia Legal deve negociar imediatamente a compra de vacina, de onde tiver, pelo preço de mercado ou até mesmo acima, como fez Israel. Qualquer preço da vacina fica mais barato que o bloqueio comercial pela pandemia. Deve-se abrir crédito, avalizado pelo Tesouro Nacional para os governadores. O Tesouro não é tesouro coisa nenhuma. Porque o nosso Tesouro não tem dinheiro.

Na toada que está, as “variantes” do corona propagarão por todo país. Aí sim, será algo dramático e descontrolado. Não se pode ficar no controle de uma pandemia como esta, de maneira centralizada, gotejando vacina aqui e ali.

A pandemia se assemelha a uma guerra. E guerra é guerra. Se o comando fraqueja, desfala, debocha – não há outro jeito, senão uma nova “Inconfidência” de governadores, prefeitos – que são as autoridades responsáveis pelos procedimentos de combate, dentro do seu território.

A meta deve ser a vacinação dos habitantes da Amazônia, senão, não controlaremos a pandemia.

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não pode ser publicado.