O salto no escuro (uma história da pandemia COVID-19) Capítulo 44

O salto no escuro (uma história da pandemia COVID-19) Capítulo 44

Vai-se transcorrendo a pandemia, com seus altos e baixos. O ano 2020 entrando no 2021 sem nenhum constrangimento. Mais altos que baixos. Enquanto a vacinação peregrina na escassez da vacina. O Brasil importa tudo. Vai chegando a conta-gotas. E não dá para se cumprir planos.

Enquanto isto a máscara, para as mulheres, se transformou em peça de enfeites, com brincos, cor da blusa ou do vestido inteiro. Vão se fazendo as combinações. – Que linda esta máscara! onde você comprou? E vão se desfilando as variedades nas ruas, nos shoppings. Porque as máscaras cirúrgicas, as N-95 são bicudas, marcam o rosto. Ainda bem que as máscaras se transformaram em adereços de vida. Melhor que a morte.

Vão se inventando, criando expressões da arte, com LIVES, os cantores nas janelas, os cantores de rua, que vão animando a vivência de medos e notícias ruins. Os ônibus continuam cheios. Passageiros em pé. Colados uns nos outros.

Continuamos tendo medo uns dos outros. Uma desconfiança danada. Sempre vem à cabeça, o bendito “será”. Será que ele está infectado? As mulheres estão fazendo economia, usando menos batom. As sobrancelhas e pálpebras recebendo muita atenção, justamente, a parte que fica exposta. Rímel, sombras e outros corantes. A gente sorri com a testa. A gente sorri com os olhos.

O Ministro Pazuello continua arrochado. Ele disse que o povo brasileiro será vacinado este ano. Que os anjos digam AMÉM.

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não pode ser publicado.