Dias de Trevas – Poema

Dias de Trevas – Poema

Como se não bastasse
As pancadas da vida
Não me pouparam
Na hora da morte…

Roubaram meus direitos
Fizeram emenda na lei
Sem velório
E sem a festa que imaginei…

Me conduziram solitário
A cova
Como um criminoso
Que não merece perdão

Jogaram na minha cara
A terra do meu torrão.

Manipularam resultados
Pra me humilhar
Anteciparam meu enterro
Pra desocupar…

Para aumentar as estatísticas
Me conduziram sozinho
Ao cemitério
Onde uma única pessoa
Ao longe
Registra meu corpo
Descer a cova…

Humilhado
Sem platéia
Sem whisky
E sem Ravel.

Poema de Vanda Moura em homenagem a Godofredo Gonçalves, falecido recentemente em Porto Velho por câncer e Covid-19.

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não pode ser publicado.