Administradores terão ainda mais importância no pós-pandemia, dizem participantes de homenagem

Administradores terão ainda mais importância no pós-pandemia, dizem participantes de homenagem

No dia 9 de setembro foi celebrado o Dia do Administrador. Para homenagear esses profissionais, o Senado promoveu sessão especial remota nesta quinta-feira (16). Durante o evento, que foi conduzido pelo senador Izalci Lucas (PSDB-DF), os participantes destacaram que a reconstrução econômica do país no pós-pandemia realçará ainda mais a importância dos administradores.

Izalci disse que o Brasil e o mundo em vivem um ambiente desafiador, já que a crise sanitária obrigou o mercado de trabalho a se reinventar. Com a necessidade do isolamento social, acrescentou ele, empresas e profissões apresentaram mudanças nas suas demandas, o que alterou perspectivas de carreiras em várias áreas de atuação.

O senador também lembrou que parte dos profissionais precisaram se adaptar a modelos diferentes do dia a dia profissional, como home office. Por outro lado, outras atividades, consideradas essenciais, seguiram atuando presencialmente, mas com novas medidas de segurança.

— Fica evidente que, até por conta da crise e das mudanças provocadas por ela, a profissão se tornou essencial no mundo dos negócios para que empresas de diferentes portes sobrevivam. O administrador está diante de um ambiente marcado pela competitividade, pela velocidade das informações e busca de novos modelos de gestão, mais flexíveis e capazes de reagir a mudanças — avaliou Izalci.

Norton Sanches, especialista em planejamento estratégico e governança corporativa, ressaltou que a pandemia acelerou o uso de tecnologias emergentes e passou a exigir mais dos administradores.

— A questão do trabalho remoto fez romper um paradigma, que é o paradigma do presenteísmo. Com isso, a ciência e a administração entraram num outro patamar. Todos os profissionais buscam conhecimento na ciência e na administração.

Currículo

Edson Kondo, presidente da Associação Nacional dos Cursos de Graduação em Administração e diretor da Escola de Políticas Públicas e Governo da Fundação Getúlio Vargas observou que novos modelos de negócios trazem consigo novos desafios, que já estão exigindo modificações nos cursos de graduação.

Kondo informou que em julho do ano passado foram aprovadas novas diretrizes curriculares, o que, segundo ele, permitiu aos cursos se “redesenharem com maior aderência às necessidades do mercado e às especificidades e vocações locais ou regionais”.

— As novas situações de trabalho exigem um grande maestro, capaz de integrar e coordenar pessoas, grupos e empresas distintas de ramos distintos, trabalhando em parceria. O principal profissional necessário para o funcionamento das economias, cada vez mais integradas, é o administrador.

O vice-presidente do Conselho Federal de Administração (CFA), Rogério Ramos de Souza, disse que quanto mais as empresas privadas são mais bem administradas, com conceitos estabelecidos dentro da academia, mais elas produzem, o que se reflete diretamente no crescimento econômico do país.

— Isso vale também para o setor público. Já está comprovado que os profissionais especializados têm feito uma administração mais efetiva, gerando melhor qualidade dos serviços públicos — destacou.

Homenagem

Izalci Lucas foi o autor do requerimento para a realização da sessão especial (RQS 237/2021), que contou com o apoio dos senadores Lasier Martins (Podemos-RS), Elmano Férrer (PP-PI), Confúcio Moura (MDB-RO), Vanderlan Cardoso (PSD-GO) e Angelo Coronel (PSD-BA).

Comemorado no dia 9 de setembro, o Dia do Administrador foi instituído pela Lei 12.967/2014. Essa data lembra a assinatura da Lei 4.769/1965, que regulamentou a profissão de administrador no país.

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não pode ser publicado.